BBT 400 - Topa Tudo

 

BBT400 / HL 3122

A batedeira que acompanhou grande parte dos jovens e adultos, ficou conhecida como a "Batedeira da Vovó moderna. Uma batedeira de alta peformance e durabilidade, considerada uma grande relíquia nos dias de hoje.

Como características, a BBT 400, foi a primeira Topa Tudo, de uma geração que durou até os anos 2002.

Com suas 8 velocidades, acionadas por um deslizante botão num painel na lateral do corpo, misturava comperfeição qualquer tipo de receitas.

Foi lançada nas cores Azul, Vermelha, Beje, Branca e Caramelo.

Quando estava na metade dos anos de sua produção, teve algumas auterações, como o disco de regulagemd a altura dos batedores ao fundo da tigela, que ficaram mais escuros, assim como os batedores de massas leves, receberam um novo formato, substituindo as hastes soldadas por ligamentos entre os eixos.

Era nessa época também, entre 82/83, que a Walita começava a implantar em suas batedeiras, os batedores de Massas pesadas, em espirais, chamados até então de Misturadores.

Na sua versão mais aprimorada, recebia duas tigelas e a espátula, para auxilio nos preparos.

Na versão simples, conhecida como Standard, possuia o corpo fixado permanentemente no pedestal.

Composição: Motor, Pedestal, Disco Giratório, Batedores de Massas Leves (2), Batedores de Massas Pesadas (2- Exclusivo para modelo superior), Espátula (Exclusiva para o Modelo Superior), Tigela Grande, Tigela Pequena (Exclusiva para modelo Superior)

170w.

BBT-400 / HL 3122 - nova "Batedeira Topa tudo".

Esta Topa tudo é criação da Walita com a Philips holandesa, dela é o pedestal adotado na BBT-300 quando esta ainda não estava no Brasil, no entanto, suas tigelas são da Jubileu, quando a HL3122 foi lançada na Europa no início dos anos 70. Suas linhas pertencem ao estilo de design denominado "Philips Recognize", introduzido na Europa no início dos anos 70, onde qualquer aparelho da Philips deveria ter características facilmente reconhecidas com um aparelho Philips. Foi um dos primeiros aparelhos cujos moldes foram feitos por CNC (controle numérico de comando) e CAD (computer aided design), proporcionando perfeição nos encaixes, detalhes e acabamento, somente encontrados na indústria bélica. O belo design da batedeira HL3122 era amplificado pela carcaça espelhada e acabamento das peças não alcançado tão cedo pela concorrência em seus aparelhos.
O novo motor, muito mais compacto, e a abolição do pesado zamak, deixou a batedeira com algumas gramas de peso frente aos 3kg da Jubileu.
Possuía controle gradual de velocidades, dividida em 8 velocidades no indicador. Eram 4 cores disponíveis, branco, caramelo, vermelho e azul claro com detalhes em marrom claro e botão de velocidades em laranja-coral. Em cores: carcaça superior e inferior do motor, pedestal e pires giratório. Em marrom claro: placa de velocidades e botão ejetor dos batedores. Em laranja: botão de velocidades e regulador de altura da batedeira. Além dos batedores convencionais, vinha dois batedores espirais para massas pesadas, um pequeno batente plástico vermelho era encaixado em um dos batedores a fim de não se inverter a posição deles para a massa não subir até o motor.

HL 3122 (segunda série)

Em 1977 a Walita modificava sua logomarca para a utilizada até os dias de hoje, com a mesma grafia da marca Philips. Nesta época a batedeira Topa tudo ganhava a nova marca e a nova logo na placa de velocidades. O pires giratório e o regulador de altura passavam a ser marrom claro. Os batedores tiveram modificações em suas hastes, um dos batedores espirais teve o batente plástico substituído por mais duas aletas feitas na própria haste. Outras pequenas modificações irrelevantes foram feitas. Em 1982, as cores vermelha e azul claro foram substituídas pela cor bege-marfim, ficando apenas 3 cores disponíveis.

HL 3122 (terceira série)

Em 1984, para acompanhar novos liqs da Walita, passou a ter as peças antes feitas em marrom claro, agora em marrom escuro (placa de vel., botão de ejeção, pires giratório, regulador e pés do pedestal). Nos últimos anos de produção foi alterado o encaixe do motor ao pedestal, eliminando a bandeja metálica que fazia a fixação das duas peças e as tigelas passaram a ter espessura reduzida. Foi produzida até 1988 - 89. Foi uma das melhores batedeiras, que reunia durabilidade, beleza e leveza. Seu motor muito resistente suportava condições severas de uso, podendo ser utilizada em confeitarias, onde o uso é mais freqüente em relação ao uso doméstico. Dificilmente seu motor queimava e é certo que ainda está presente em milhares de lares brasileiros e argentinos até hoje.

Inicio de Fabricação: Fev/77

Término: N. Definido.